terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal!


Desejo a todos e todas, amigos, conhecidos e família, um Natal consciente! 


Que a verdadeira celebração não seja apenas mais uma festa de encontros


Que a grandeza desse momento não se deturpe e não se perca em brindes


Que o brilho da Estrela maior não seja ofuscada pelo show de luzes


Que o verdadeiro Presente, nós o permitamos nascer em nossos corações


Feliz Natal!!!

sábado, 21 de dezembro de 2013

Deixa-me


Deixa-me
seguir, incerto aos externos
inquieto, talvez esperto,
que meus passos caminhantes
sempre avante me levando
por vezes parando, tropeçando
caindo, levantando, retrocedendo
cambaleando, firmando, recomeçando...

Deixa-me
olhos turvos pelo tempo
firmes cores desbotadas
fotografias em preto e branco
papel manchado pelo pranto
marcas do passado
histórias relembradas, recontadas
na imensidão do céu azul
cortina de estrelas que eternizam sentimento

Deixa-me
sentir o que não se explica
amar o improvável
viver o impossível
que o coração almeja
e não requer destreza
simples, invisível, sensível,
no compasso do seu tempo
pulsa, repulsa, expulsa
mas bate, rebate, cambaleia e não se abate

Deixa-me
seguir o caminhar
e que, se preciso, seja no mar
a velejar outros mundos
de questões tão profundas
que eu possa me entregar
ofertar, correr ou ficar
fazer o que o sentido e o risco me levar
seja aqui, lá ou acolá
não me impeça de lutar
nem de viver, nem de chorar
quero apenas, então olhar
deixa-me...


A virtualização e o Natal


Mais um ciclo que se encerra no tempo das horas
Alegrias, dores, conquistas, derrotas
Tudo e nada que se findaram a seu momento
Travessias da vida
Os que chegaram e os que partiram
No tempo de hoje, o advento do Natal
Espera agraciada da chegada do Salvador
Tempo de paz e amor

Na virtualização do mundo
O sentimento segue tal como ele
Relações gélidas, fictícias
Tecnologia que encurtou a distância geográfica
Mas distanciou os corações, o calor humano
Tornamo-nos extensões de nossas máquinas
Conseguimos nos comunicar
Mas não mais nos experimentar verdadeiramente na essência

Esperar o que de um mundo realmente virtual?
Cobrar o que de quem não mais experimenta o calor do abraço?
Natal? É troca de presente, renovar o guarda-roupa,
para quem ainda pode fazê-lo
Supérfluo, superficial, banal...
Mas, jamais o Natal!!!
Valores somente ao que se reverte em grana
Interesses!

Que a estrela do oriente ao brilhar
Brilhe também no íntimo de cada coração
Que o espírito que rege esse momento ímpar
Consiga penetrar nas entranhas obscuras da humana virtualização
Que o tempo do Natal reacenda, reaqueça as relações com sua Luz
A paz sem guerra, por terra, por quimera, seja com amor
Que não seja virtual, não seja de momento o sentido do nascimento do Menino Jesus

Que seja sem igual, que seja único, o real momento do tempo da vinda do Senhor
  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email