sábado, 26 de novembro de 2011

"Meu Templo em mim"


"...Sobre o pano branco
que de fundo ornamenta o sagrado
Sob melodias e harmonias
Encontra-se o sacramentado
Amor sem pudor
Amor sem talvez
Amor por amor
Amor de uma só vez
Templo vivo
Luz do caminho
Caminho de luz

Vida em meu templo..."

"Palco da Vida"


"No plano de fundo,
Onde o amor é agora,
Sobre a vida os ensaios
No palco sem cortinas
No silêncio das almas
O ato acontece

Sobre o plano de fundo
Que colore o artista
Aprimora o talento
Encanta a platéia
Convida os corações
O ato acontece

Onde o amor é agora
Sem porquê nem talvez
Com saudade e esperança
Nostalgia e alegria
Ferida que não se vê
Energia que alimenta

Nos ensaios reais e surreais
Que a vida permite
Não há cenas pra se refazerem
Não há tempo para descanso
É um longa incessante
Com início e sem fim

No palco sem cortinas
O grito contido no silêncio
O silêncio das almas
O descompasso dos corações
O ato acontece
Em tons incessantes
A vida acontece
Eternamente permanece..."

Ailton Domingues de Oliveira
(24/11/11)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

"No limiar da ignorância"

Ignorância? Talvez!
Inculto? Não é o óbvio!
Limitado! Eis a questão.
Tornar-se arredio ou agressivo diante da auto-impotência é descontrole infantil. O fato da certidão estar amarelada pela ação do tempo deveria repercutir de outra forma, ou seja, condizente com os cabelos brancos, ou pintados, ou ainda a falta deles.
Certidão amarelada, claro, não é sinal de expertise, nem de experiência, nem cultura. Prova disso nós vemos nos poderes públicos, na sociedade, no facebook. Mas, eis aí mais uma questão: por que a limitação individual torna um ser tão amargo, assim? O fato de haver pessoas que pensam diferente é motivo para tantas implicâncias? Graças a Deus, não o da exploração mas o do amor e do bem, temos a capacidade de discernir uma coisa e outra. Seria ridículo condenar toda uma ala pelos tropeços de alguns. Não sei o que se prega por aí mas duvido que seja tal como está sendo apresentado por aí, e mal representado por sinal.
Achei um novo conceito para a ignorância. O ser que não tem capacidade de discorrer de maneira educada e democrática sobre um determinado assunto, tanto pela falta de argumentos quanto pelo excesso de hipocrisia, pode afundar o titanic... É patético, mas existem seres assim! Veja bem, eu disse “ser” e não “gente”.
Particularmente, é um prazer escrever. Não ganho nada além de melhorar o quesito “redação”, paixão de outrora por sinal, inspirado em pessoas e vidas. Nunca fui o melhor, disso eu tenho certeza, mas fui educado pelos melhores e sempre dei o melhor de mim.

Ailton Domingues de Oliveira
(05/08/11)

"Rio Paranapanema eu te quero vivo!" - frases e pensamentos






(19/09/11)
‎"A ESCOLHA É UM DIREITO. ASSUMIR AS CONSEQUÊNCIAS É UMA OBRIGAÇÃO, AS VEZES DE GOSTO AMARGO."

"Minha posição está na defesa do Rio Paranapanema, doa a quem doer!!!"


(19/09/11)
‎"A CONTRAPARTIDA QUE EU ESPERO É QUE A JUVENTUDE ABRA OS OLHOS, SE POSICIONE E NÃO SE ACOMODE COM AS SITUAÇÕES IMPOSTAS DE CIMA PARA BAIXO."


(19/09/11)
‎"SE VOCÊ NÃO TEM O CONHECIMENTO DA CAUSA CORRE O RISCO DE ESTAR APENAS ILUDIDO, MENOS MAL, POIS AINDA HÁ TEMPO DE RECONHECER O ERRO E REFAZER O CAMINHO, MAS SE VOCÊ CONHECE O CAMPO QUE ADENTRA E O FAZ POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE, SABENDO DOS RISCOS E PREJUÍZOS A TERCEIROS, A UMA CIDADE, À NATUREZA, APENAS POR UMA ILUSÓRIA PROMESSA QUE NÃO DÁ NENHUMA GARANTIA FUTURA, ENTÃO, LAMENTO... ESTAIS CORROMPIDO..."

"Rio Paranapanema, eu te quero vivo!!!"


(19/09/11)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

"Atos da vida"

"Abandonaste-me ao palco
Sob luzes e silêncio
Criei meu próprio monólogo, sobrevivência
Por vezes, um diálogo entre eu e Deus, refúgio
Centrei a platéia
Fruto e origem de toda motivação, deveras...
E desordem, infelizmente
Circunstâncias fatídicas
Seres obsoletos, arcaicos de aparência jovial
Maldade planejada
Feridas não tratadas
Um grito contido
Explanado em atos silenciosos
Cobiça e ganância tornaram-se temas
Fixados no coração de quem foi para a sombra
Buscando palcos paralelos...
Eis a luz, eis o perdão, eis o amor
Eis Jesus, eis seu exemplo, eis sua vida
Busco agora, repousar meus pés
Cansados da caminhada
E meu coração, calejado do mundo..."

Ailton Domingues de Oliveira
(17/11/11)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"Pensai II - Templos x Túmulos"




"Templos ou túmulos?!
Edificai seu coração
Ou maquiai sua casca.
Construa alicerces
Ou preocupe-se com a aparência.
Sejas o que quiseres,
apenas não exija fruto doce
de sementes que só produzem fel.
Seja Templo ou torne-se túmulo!"

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

"Pensai I - sistema"





‎"O sistema precisa de medíocres

para que a engrenagem do poder jamais se rompa...
A falta de informação, a falta da educação, a falta do conhecimento
contribuem para o crescimento destes...
O ser conformista sente-se peça única em relação ao que faz...
O mundo continua carente de cabeças pensantes...
Mas, o círculo vicioso nos remete ao topo deste pensamento...
Quem pensa atrapalha, custa caro e incomoda..."


"Um dia e agora"

"Um dia terei tempo
Não haverá dor de ausência
Um dia não sentirei nem o vento
Somente alegria das presenças
Um dia escreverei para os amigos
Não lembrarei de quem se tornou inimigo
Um dia verei, por consideração, os queridos
Falaremos das histórias vividas
Dos momentos de dor, tristeza e partidas
Das vitórias e conquistas sofridas
Um dia, não me preocuparei mais com o tempo
Não será nem mocinho nem bandido
Não sofrerei a falta do que não conquistei
Não lamentarei o caminho tomado que desviei
Não preocuparei...
Apenas estarei lá
Um dia, o livro se fechará
As lembranças, aos poucos, feito areia escoarão
Um dia, serei alguém, serei mais um, serei eterno,
Serei lembrança, não serei nada ou tudo...
Um dia, nem olhos nem toques
Nem gosto nem beijo
Nem abraço nem cheiro
Hoje, ainda é vida
Esperança, nostalgia e lembrança
Hoje é dádiva, amor, caridade,
Compreensão, paixão
Hoje, vida louca, bandida,
Solitária, única e querida...
Sem pressa
Hoje: obrigado, amém."

Ailton Domingues de Oliveira
(10/11/11)

terça-feira, 8 de novembro de 2011

"A chegada e a partida"

‎‎"Um dia a gente chega,
noutro o trem chega,
no terceiro a gente se acostuma,
e tudo fica bom...
E nesse momento,
já é hora da partida...
Uns vão mais cedo;
Outros, mais tarde;
Alguns tentam ficar;
Mas ninguém permanece na eternidade,
a não ser na lembrança e no coração
de quem ainda continua na caminhada.
Fazemos história
Viramos história
Adentramos no tempo
E voltamos ao pó...
Bom mesmo é curtir
a caminhada, a espera,
a chegada e a partida
seja qual for a ordem...
Adeus??? Jamais!!!
As pedras atiradas
Tornaram parte do meu alicerce.
E aqui estou!!
Aos amigos, apenas a saudade e a lembrança...
Afinal, são vocês que sempre permanecem
independente do desfecho de cada capítulo da vida...
E Deus, em sua eterna e única beleza,
A nos abençoar..."

Ailton Domingues de Oliveira
(07/11/11)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email