quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Cá de Dentro - O Livro

 
* Imagem: Gilson Rocha

Escrever sempre foi não só uma arte apaixonante mas um caminho alternativo e com estilo próprio. Sinto também como um desbravar de horizontes e mundos ou, talvez, um refúgio, uma inquietude e um libertar-se. Com o tempo novas ressignificações surgiram e com estas a necessidade de materializar na história e na memória o fruto de mais de vinte anos de constantes ensaios.

Em tempo de tecnologias sofisticadas, onde um clique te coloca a par do que acontece do outro lado do mundo, os livros estão ficando em terceiro ou quarto plano. O público em geral é fiel às redes sociais e o que surte efeito são as frases feitas, imagens e muita fofocaria (mistura de fofoca com porcaria). Escrever um livro nos dias de hoje é quase uma insana loucura. Mas, quem disse que eu gosto das coisas normais?! Essa quebra de paradigmas é simplesmente um desafio ao qual me permito e me dedico conscientemente.


Já me encheram de perguntas a respeito do livro, antes mesmo de lerem o conteúdo. As melhores foram: É um livro de Deus? É um livro de autoajuda? Qual o sentido daquilo que você escreveu? Estou ciente e tranquilo quanto aos que vão ler com olhos abertos e críticos e os que vão simplesmente concluir por osmose virtual. Faz parte!


Em primeiro lugar escrever é também um passa-tempo ao qual me dedico com prazer desde a época de colégio. Não é um livro de Deus, foi eu mesmo que escrevi e apesar de não terem perguntado ainda, não é uma autobiografia. Também não é um livro de autoajuda nem tampouco descobri uma fórmula de enricar. Poesia não é para ser entendida, é para ser sentida. E quanto à última pergunta que selecionei respondo com uma frase de Mário Quintana: "Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro."



Bem, no trajeto da preparação para esta ousada obra, contei com a ajuda extrema de um grande amigo ao qual tive o prazer de conhecer no curso de Teologia: Gilson Rocha. A começar pela capa, ilustrações, organização, diagramação até a impressão, o empenho e os devidos méritos são dele.

O título da obra, Cá de Dentro, foi um dos últimos itens escolhidos após exaustiva seleção e correção de conteúdo que contou com a ajuda da Prof.ª Margarete Santos, da Faculdade Católica de Uberlândia, a qual tem a minha eterna gratidão e respeito.


Comentem, critiquem, opinem, mas, antes de qualquer coisa, leiam destorpecidos da necessidade de interpretar o sentido de cada verso. Apenas deixem fluir e sintam. Do mais, não sei de nada, só sei que foi assim...


Obrigado!



Fotos: Gilson Rocha - 29/10/15






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email