domingo, 12 de junho de 2011

Saudade proibida!


Que saudade daquele olhar
Doce, meigo, bem mal intencionado
Prestes a me devorar
Com suavidade e amor
suor e calor
De nossas peles a se entrelaçar

Que saudade daquele olhar
Naquele tempo que éramos um
Um pelo outro, um amor louco
Sem medo, sem pedras
Sem lenço, sem quimeras
Doce beijo atrevido
Abraço apertado e bandido

Selvagem menina,
Encanto de olhar
Doce felina
Magia no ar
Calor do meu céu
Do jardim minha flor
Me arrebata em brisa sem véu
Desejo, paixão e amor

Santo pecado
Amor conquistado
Não fora roubado
Já estava marcado
Assim era pra ser
Paixão de arder
Delírio a doer
Amor pra vencer
ou morrer pra viver...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email