quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Primavera de 2013

Mudanças, andanças, lutanças 
Destemperanças, aliança, esperança
Nada poderia ser igual, 
e não fora
Sentia que o tempo era meu, 
A oportunidade, com ousadia e fé, me pertencia
De casa, de trabalho, de coragem
Dores que me fizeram reavaliar-me
E melhorar meus passos
Cuidar-me, sem quimeras
Afinal, de que valeriam os pensamentos
sem o corpo para praticá-los?
Eis um ano de primaveras!
Felicidade sem limites por inúmeras mudanças
As dores, como um verão, se passaram
Forçaram-me a "reinventar-me"
Ainda é possível ser melhor
Viver melhor!
Sempre é possível. 
A primavera deveria ser uma estação contínua.
As flores enfeitam, perfumam, 
Harmonizam todo e qualquer cenário
De luto à festa
Esse ano, fé e mística sem precedentes
Repleto de flores para a alma
Que os olhos do corpo não vêem
Mas os da alma sentem
Se comprazem 

Ao Deus que me cuida,
que me guia e me faz enxergar 
pelas janelas do pensamento,
o meu bem querer 
transformado em gratidão,
com amor, com ternura, com fé
com ousadia, alegria, travessia
pés no chão, pensamento inflamado
desejo aguçado no coração,
o de doar-me, a ser luz,
e assim cumprir meu papel
protagonizando aqui na terra
o que o Papai do Céu
legou em meu viver.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email