quarta-feira, 10 de agosto de 2011

No caminho de um só

"O tempo escoou, ecoou
Envelheci, desaprendi
Explodir é eco da saudade
Minha vida
Divina
Amiga
Bandida
Tem estrada solitária
Somente paisagem
Na memória as imagens
Presenças ausentes
Quero esbravejar
E quem quiser me amar
Que conheça também os espinhos
Que vem seguidos de flor e carinho
Quero-me...
E também a doce ilusão
Do sonho do amor
Que é perfeito
E de dor
No meu peito
Mas real alegria
Utopia
Todo dia
Fantasia
E real
No caminho de um só
O Deus que me habita
Sempre ilumina
O caminho
No tempo escoado, ecoado..."

Ailton Domingues de Oliveira

(10.08.11)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email