quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Ex-conceito!


Reconhecer-se. Esse é o limite perfeito da própria razão. Nem mais nem menos, nem melhor nem pior, apenas diferente. Bom, o tempo quaresmal é propício e já se faz necessário um novo olhar sobre um escrito que data de 03/12/2012, dia em que exacerbei numa crítica ironicamente satirizada tentando achar certa graça na razão que me faltava. Na imagem que seguia o texto de poucas linhas o rosto do Mussum (dos Trapalhões) numa fantasia de Mestre dos Magos (da Caverna do Dragão). O título: "Consulta o Mestri dos Maguis". Uma crítica nada velada. Razões temporais que algumas vivências me levaram a crer que eu estaria correto nos pensamentos. Não. Hoje vejo que não mesmo. Por isso, um novo escrito com o título "Ex-conceito" pra deixar claro que reconheço os meus limites e que na data passada eu os extrapolei. Tive sim, como já disse, motivos vários para escrevê-lo e que hoje não vêm ao caso. Naquele momento eu não poderia englobar a todos na minha forma de pensar em virtude de um fato isolado. Pensei também em simplesmente apagar o texto passado mas muitas pessoas o leram. E é pra esses que eu me reescrevo com um sincero pedido de desculpas. A crítica era diretamente para os que vivem pulando de religião em religião, coletando o que melhor lhes convém. E?! Quem disse que isso tá errado? Na verdade, a minha auto pergunta deve ser outra: "Quem disse que o que atrapalha a vida da pessoa é o fato dela buscar o melhor das religiões ou viver à procura da que lhe faz sentir-se bem?" Enfim, nenhuma denominação é detentora da Verdade nem tem a chave secreta para o Céu, o Paraíso, o Jardim do Eden, a próxima fase, outra vida... 

Segue abaixo o link do texto "Consulta o Mestri dos Maguis" de 30/12/12: 

http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2012/12/mestri-dos-maguis.html


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email