quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Diário das diárias


Essas são algumas das partilhas com amigos e familiares que guardei com carinho desde o dia 23/11/14 (...)


Amigos (as), preciso da oração de vocês. Minha mãe teve um AVC. Ela está na cidade de João Pinheiro e deverá ser transferida para Patos, onde há mais recursos. Estamos tentando fazer a transferência direto para Uberlândia. Resolvendo algumas questões burocráticas irei para lá (Patos ou João Pinheiro), ainda hoje, sem previsão de retorno. Não dá pra descrever a sensação de impotência. Obrigado. (24/11/14)


Bom dia a todos/as! Depois de 48 horas conseguimos a remoção da minha mãe, de João Pinheiro para Uberlândia (Medicina). No momento aguardamos a disponibilidade de um leito. O quadro clínico dela é estável e sem sequelas aparentes, porém não deixa de ser grave e requer cuidados especiais urgentes. Apenas uma forte dor na cabeça, devido ao "derramamento de sangue" (segundo o médico). Chegamos ontem por volta de meia-noite. Passei a noite acompanhando e hoje a vida volta à sua rotina normal. Agradeço a todos pelas orações. Confesso que tive momentos que o deserto era tão solitário que o medo e a incerteza me tiravam o chão. Nessas horas fechava os olhos e buscava a Deus e tenho certeza de que foram nesses momentos que encontrei a força necessária que chegou através de suas orações. Abs. (26/11/14)


Bom dia! Lembrei-me de uma palestra que assistimos na FCU (semana da Teologia), onde o médico falava que quando a pessoa morre acaba se transformando numa "coisa". A sensação, diante de tudo que tenho vivenciado nesses dias, é que muitas vezes somos essa "coisa" ainda em vida. Encontramos pessoas e pessoas pelo caminho. Vejo "gente" que ama o que faz e se dedica com respeito, compaixão e caridade para com o próximo aqui pelos corredores deste imundo chão da saúde. Vejo também, sentindo na pele, o descaso, a frieza, em alguns olhares que dão a sensação que você - "a coisa" - é um "peso" neste sistema (da saúde). Flores entre pedras (ajuda e amizade de onde menos esperamos) e flores de plástico (enfeitam mas não tem vida, estão próximas mas são indiferentes). Minha mãe aguardava em jejum absoluto, para "fazer" um exame (nas artérias - esqueci o nome), desde domingo a noite. Ontem, depois de ter conseguido a liberação, após muita conversa de pé de orelha, após tentar encontrar um "ser-humano" por detrás daqueles olhares frios que me atendiam, nos informaram que o aparelho para o exame estava queimado. Teríamos que aguardar a liberação para fazer em outro local que tenha o aparelho. Sabe-se lá quantas horas, ou quantos dias mais! O responsável por correr atrás desta liberação, falou que ela então poderia se alimentar. Os enfermeiros não se responsabilizavam. O médico responsável, que só a recepcionou no primeiro dia (e todas as conversas que quis ter com ele, foram pelos corredores, isso quando tive a sorte de encontrá-lo, estava em cirurgia. Pelo bem, pelo mal, a autorização e responsabilidade foram minhas. Ninguém aguentaria, naquelas condições de forte dor na cabeça (por conta do derramamento de sangue), vômitos e mal estar (portanto, fraca e debilitada) a ficar mais um dia sem se alimentar. Autorizei, por conta e risco, porém, ciente do que ela precisava. As dores espaçaram e pelo menos ela conseguiu descansar um pouco (se é que existe descanso numa maca de hospital). Pra se ter uma ideia, ainda em João Pinheiro, somente uma injeção de "dolantina" conseguiu dar algumas horas de alívio. Comentei com o Gilson Rocha, a importância e necessidade de se fazer algo nessa questão, principalmente pra quem adentra no sistema de saúde. Desde João Pinheiro vi tantos casos, tantas cenas, dores que acabaram cruzando com as da minha mãe e com as nossas també
m (minha, da minha irmã e das pessoas que nos acompanharam). Somos impotentes, somos reféns. E com cada profissional que encontrei e encontro por esses corredores, tento enxergar e extrair um pouco do humano e mostrar que não somos meramente "coisa". Desculpem a extensão do desabafo, mas para mim escrever é libertar-se! Jaqueline, sua indicação foi muito importante pois acelerou o processo da transferência da minha mãe para Uberlândia. Hoje, estarei com minha mãe das 20 às 6:30. Abs e tenho sentido muita falta de estar com vocês! Continuo contando com suas orações. (27/11/14)


A linha que separa a realidade do imaginário e o sonho do pesadelo chega a ser imperceptível em situações extremas que fogem às rédeas do controle. Essa é a sensação do momento diante das circunstâncias que tenho vivido. E sei que o grau de cansaço, misturado com a oscilação da esperança com o medo e da impotência com a fé, está apenas no começo. Desde o domingo a noite quando minha mãe passou mal e foi socorrida pelo meu cunhado e por alguns vizinhos (em Brasilândia) até este exato momento, muitos, mas muitos nomes cruzaram nossos caminhos. Não sei se terei capacidade para tanto, mas fiz questão de guardar cada nome para que em breve possamos ofertá-los aos pés de Nossa Senhora Aparecida e de Nosso Senhor Jesus Cristo, em sinal de amizade e gratidão. Orações, ajudas frente às burocracias do sistema, telefonemas, mensagens, tudo tem sido fundamental. Minha mãe segue com fortes dores (...) Ver alguém que a gente ama sem forças e entregue numa cama de hospital, à espera que "amanhã" estará melhor e que tudo será mais fácil, confesso, queria eu estar em seu lugar. Já fiz essa proposta pra Deus, mas parece que Ele não me deu ouvidos. Neste momento minha poesia e minha teologia só tem um sentido: Mãe. (28/11/14)


Boas notícias!!! Ontem a tarde ela já estava melhor, se alimentou um pouquinho e começou a "dar ordens" pra mim e pra Cinthia (rs)! Hoje, acordou com fome. Um pouco da fraqueza se deu por conta de ficar 72 horas sem se alimentar. Juntando com a dor e as altas doses de medicamentos fortes deixava o quadro dela ainda pior. Entendemos agora que ela precisava reagir para que em caso de cirurgia esteja bem preparada. Agradecemos e contamos com suas orações. (29/11/14)



"A Família do corredor" - (01/12/14) - http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/a-familia-do-corredor.html


"Vou fazer uma oração" - (01/12/14) - http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/vou-fazer-uma-oracao.html

Bom dia! Vencemos a etapa do "exame". Acabou de ser realizado e possivelmente a cirurgia será ainda nesta semana. O médico que o realizou explicou-nos a situação. Disse que, apesar dela estar aparentemente bem, é um caso grave e por isso a urgência de fazer logo essa cirurgia. Mais uma vez, diante de tudo, contamos com a força da oração de todos vocês. Ailton e Cinthia. (02/12/14)


"Desfecho no Encontro" - (02/12/14) - http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/desfecho-no-encontro-251114.html



Aguardamos ansiosos até a próxima segunda-feira (08/12/14), coincidentemente dia de Imaculada Conceição, para saber da Junta Médica qual será o procedimento necessário para minha mãe: cirurgia ou outro tipo de intervenção. (03/12/14)


"Uma noite, três histórias" - (03/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/uma-noite-tres-historias.html



No dia de Imaculada Conceição, aguardando a Junta Médica que decidirá qual procedimento será o mais indicado para o caso da minha mãe (cirurgia aberta ou via artéria), aproveito para agradecer alguns professores que foram, simplesmente, além de seu profissional. Foram humanos! Padre-Roberto Francisco e Silvano Dias, dispenso demais palavras de gratidão mas saibam que é um privilégio tê-los no rol dos Mestres e Amigos! Aos amigos da Teologia, agradeço imensamente pelas orações e força. E até o próximo período se Deus quiser. Imaculada Conceição Rogai por nós! (08/12/14)


Pessoal, acabamos de saber: a cirurgia da minha mãe será a tradicional (aberta) amanhã as 7:00 horas da manhã. Conto com a oração de vocês! E que Imaculada Conceição interceda por ela neste momento. (08/12/14)


"Nossa Senhora me dê a mão cuida do nosso coração que sempre bateu por nós: Mãe!" - (08/12/14)


Bom dia!
A cirurgia da minha mãe iniciou as 9 da manhã e acabou as 18:15 hrs. A demora foi devido a dificuldade de encontrar o local exato do aneurisma. Não teve complicações durante a cirurgia. Vimos ela no corredor, quando saiu da sala cirúrgica direto para a UTI. Apesar do sedativo respondia a todos os sinais e quando eu e minha irmã falamos com ela. Aguardamos por uma hora e depois a vimos novamente na UTI. Da mesma forma respondia que nos entendia. Segundo o neuro-cirurgião o quadro de saúde dela teve uma boa evolução desde o dia 23/11 quando teve o AVC. Ele não sabia explicar como que minha mãe não teve sequelas ou pior que isso, não morreu, pois é algo inexplicável para a ciência. Nos tranquilizou e também falou de todos os riscos. Na UTI, ouvimos a conversa de dois médicos, durante a troca de turno, sobre a boa evolução no quadro dela, o sucesso da cirurgia, e que ela respondia a todos os sinais e ao som de vozes. Aparentemente, não havia perdido nenhuma função e não precisou ser "entubada". Nesse momento, eu e a Cinthia apenas agradecemos a Deus e às orações de todos, pois nossa mãe é um milagre! O horário de visita na UTI é restrito. Após as 16 horas teremos mais notícias. Obrigado mais uma vez. (09/12/14)



Boa tarde! E, com muita alegria, já respirando aliviado, agradecendo a Deus e a todos pelas orações (...): minha mãe já foi transferida da UTI para o leito do Cirúrgica I. Ela está um pouco inchada mas passa bem. A emoção do nosso reencontro foi tanta que eu não contive as lágrimas. Lágrimas de felicidade e gratidão. Por fim, ela que falou pra eu me acalmar. Me contou detalhes de sua primeira noite na UTI. Reclamou de um enfermeiro que demonstrava desinteresse pelo trabalho (rs). Pra variar um pouco me deu "ordens". Rimos bastante quando falei que ia comprar um "berço" e colocar ao lado da minha cama, para quando saísse do hospital. Bom, é isso! Com certeza, o nosso Presente de Natal chegou antecipado! Pessoal, obrigado de coração pelas orações e pela força! (09/12/14)



"Nossa Mãe é um milagre" - (10/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/nossa-mae-e-um-milagre.html



"Jamais seremos os mesmos" - (11/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/jamais-seremos-como-antes.html




"Estradas que se cruzam" - (11/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/estradas-que-se-cruzam.html



Amigos, amigas, minha mãe já está em casa. Essa foi nossa última noite no hospital, Graças a Deus. As palavras finais do médico para minha irmã, antes da alta: "O caso da sua mãe é gravíssimo e ela está viva por um milagre. Agradeçam a Deus". Se a ciência, pelas Divinas mãos humanas, rendeu-se à Fé, só nos resta agradecer a Deus e à Nossa Senhora. Obrigado a todos pelas orações, principalmente. Com certeza nosso Natal será diferente! (15/12/14)

"A cadeira e o tempo" - (16/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/a-cadeira-e-o-tempo.html



"Sinais" - (17/12/14) -
http://escritosemtempos.blogspot.com.br/2014/12/sinais.html



"O mundo não parou na sua ausência, mas nós paramos o nosso mundo por você, Mãe. Nossa Senhora cuidou de ti." (15/12/14)












































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email