segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Prática condicionada ou Fonte de libertação?


O não assumir uma postura frente a um empasse pode ser sim uma mera fuga. Medo ou receio, talvez! Pode também, ser simplesmente a hipocrisia disfarçada.

A opção de silenciar-se, não é mera fragilidade humana. Vai além das barreiras invisíveis que limitam a cada um. É manter-se neutro e, então, não responsável pelo resultado que virá. É um "lavar de mãos" ou uma saída estratégica pela tangente.

Uma pessoa que não tem peito para esboçar sua opinião é o tipo morno, que vive em cima do muro e tende a pular para onde for a melhor oportunidade. Velhaquismo puro ou falsidade?

Dizer aquilo que é conveniente para o momento não passa de politicagem barata. Não contradizer questões reais para andar sempre nas graças da realeza é ser o otário da corte.

Será essa a postura dos novos teólogos? Será uma teologia fonte de libertação ou uma prática teológica condicionada de acordo com o público em questão?

Você decide!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email