sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Vou-me embora



Vou-me embora
Já não tenho mais tempo
É agora, a hora que chega
É o trem, o trem da partida
E também da chegada
Vou-me lá
Prosseguir, caminhar
Desatar minha vida
Pra bem longe da civilização
Encontrar o caminho 
Que parece sem fim
Parece estar dentro de mim
Vou-me em busca
De tudo
E de nada
Não quero ouvir
Nem ver
Apenas falar
Vou-me então
Encontrar, ou, reencontrar
O que talvez se perdeu
Se é que algum dia foi meu
Se nessa viagem
Nada eu encontrar
Tenho certeza, 
Que pelo menos esse fardo
Lá eu hei de deixar
Vou-me em partida
Em eterna despedida
Não para morte, nem da vida
Mas para o que se pensou que viveu
E parto pra terra esquecida
Na certeza que lá existe
Um tesouro que é meu
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email