terça-feira, 11 de outubro de 2016

Travessias de um Rio


 Na vida que se faz vida
Um Rio que abraça memórias
Sem temer a própria morte
Segue o destino com maestria
Rio que traz e leva a vida
Conduz em seu leito histórias
Deriva em si à própria sorte
Traquino e menino em travessia

No espírito da água da vida
O Rio é a sua própria teologia
Com seus cantos e irrestritas danças
Rompe as margens sua espiritualidade
Espírito de um Rio de vida
Que ao próprio ego silencia
Dissipa, limpa e dá de si em esperança
Travessias de um Rio em liberdade

Ah, se todo mundo tivesse um Rio
Se o espírito do Rio habitasse o mundo
Se a liberdade fosse uma mera travessia
Se a travessia não se perdesse em liberdades
Ah, se toda vida respeitasse o Rio
Se o próprio Rio não tivesse roubada a vida
Se a espiritualidade fosse mais vivida que falada
Se a fala imposta não lhe usurpasse a espiritualidade

Travessias de um Rio...


(*) Fotos: Rio Paranapanema - por A.D.O.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email