quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Privilégios para uma classe é o escambau!


"Antes ouvir asneira do que ser surdo! Ou, seria a recíproca verdadeira e melhor?" E foi com essa frase que, indignado, refleti sobre a exposição de um argumento de defesa empregado por um rapaz, filho de pais classe média (que por acaso tiveram sua origem na classe trabalhadora, o povão), ao defender seu apoio ao play-boy candidato: "Voto no Aécio para defender a minha classe!" Classe? Vamos lá! Classe: biologicamente significa um conjunto de seres vivos com características em comum; socialmente é um grupo de pessoas que têm status social similar. O botânico francês Joseph Pitton de Tournefort utilizou este termo pela primeira vez na obra Eléments de Botanique em 1.694. #Fica a dica!

Todos os ascendentes sociais (os que subiram de classe) ou pelo menos a maioria um dia já foram revolucionários e visaram a igualdade. Igualdade esta que também lhes seria oportuna. Mas, a questão é diferente na prática. Totalmente diferente! Uma vez experimentando o gostinho da "droga" do poder e do status, em questão de pouco tempo todo o histórico de lutas e dificuldades fica de lado e o alvo é sempre mais e mais e mais. E o povo (que agora ele já não faz parte, ou seja, é uma classe distante da sua atual) é um sanguessuga que vive nas tetas do Governo através das "bolsas". O capitalismo, passagem única e direta para o consumismo é impregnante e atinge dos pequenos aos mais velhos. 

Quem é o responsável direto e indireto pela cegueira causada nas gerações que cada vez mais deixam o senso crítico de lado e mergulham no mundo do ter? É [...], o senso-crítico está em extinção! Acredito piamente que alguém se favoreça com a ingenuidade das pessoas. É preciso que haja pessoas acostumadas com o mínimo possível, o resquício da fatia, as migalhas que caem das fartas mesas. São muitas e muitos que dividem esse micro pedaço pois a maior parte do bolo ainda se concentra nas mãos de poucos.

Dificultar o crescimento da classe trabalhadora, aquela taxada de pobre, é sem dúvida o melhor caminho para não criar pensadores capazes de libertarem a si próprios e a outros. E a melhor maneira de gerar dificuldade é simplesmente não fazer nada. Tolher o sonho, relaxar com a educação, dentre outras inúmeras coisas, são fatos consumados Brasil afora. Quem está no "poder" (não me refiro a quem está no Governo que por vezes tem menos poder do que quem coroneliza o sistema) tem a intenção de camuflar a verdadeira intenção. Tampam o buraco da sua rua porque é visível mas com certeza tiram o seu direito à educação, principalmente. As ditas oposições são especialistas em construir obstáculos ao invés de pontes e melhores mestres na arte de jogar a culpa para a administração que paga o pato.

Não acredito em Governo perfeito. Não acredito que não haja falhas. O que eu acredito é que ainda existam pessoas que sonham e sonham conjuntamente com e pela maioria desassistida. Os opositores desse tipo de política (política: arte do bem comum) são os que não querem em hipótese alguma deixar de ganhar abastadamente, quando não sorrateira e desonestamente. Os coronéis do poder ainda escravizam de maneira inescrupulosa quando dificultam a igualdade para todos. E não falo apenas em questões financeiras mas principalmente em quesitos que são direitos básicos, tal como é a educação.

Diretamente, na trilha da formiguinha, podemos começar a arar a terra, plantar, cultivar e cativar as próximas gerações. Em casa, no trabalho, na escola, enfim, enquanto cidadãos (seja qual for o papel que exerçamos na sociedade) temos não só o direito mas a obrigação de fazer a diferença. Não precisamos de belos discursos tal como a cínica e hipócrita falácia de quem defende privilégios para uma "classe". Precisamos de pessoas de bem e que visem o bem comum. Precisamos que cada ser humano, por educação, por obrigação, por respeito, por justiça apenas e necessariamente não se corrompa. Privilégios para uma classe é o escambau!!! 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email