sexta-feira, 11 de março de 2016

Corpo, alma e dança


Dança e terra
Deserto tão certo 
Caminhante sereno 
De um mundo esquecido
Sem busca encontrando 
Do veneno curando
Errante atrevido
De volta ao sertão
Empunhando a coragem
Ousadia e coração

Alma e lua
Na chuva abraçado
Correndo sem rumo
Com você ao meu lado
Não importa o que vem
Nem o distante passado
Recomecei de outras guerras
Renasci tantas vezes
Esperando a estação
E a lua cobrindo a solidão

Corpo e mato
No manso recanto
Sintonia perfeita
Ausência da dor
De outras mortes vividas
Traz na estrela a sorte
Entrega sem temor
Eterna aventura
Do tempo que dura
Eterno e intenso em nós


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email