domingo, 23 de dezembro de 2012

A fonte


Manter acesa a chama da juventude é um malabarismo em corda bamba que o risco aumenta com o passar do tempo. Tempo e Juventude. Tempo e experiência. Tempo e vida. Tempo, ontem, hoje e amanhã. Tempos...

Os movimentos se dificultam com a chegada da idade. As dificuldades que no início foram vencidas, durante o processo de aprendizagem e descoberta, com a chegada da maturidade voltaram a ser obstáculos.

E onde está a fonte que mantém viva a juventude? Creio que está em cada um, no coração e na alma, no pensamento e na vontade de viver um dia após o outro.

Olho para crianças e imagino o que elas verão daqui a uns dez, vinte e trinta anos. Olho para os mais vividos e me imagino como estarei daqui esse tempo todo. Mais uma vez, o tempo...

A fonte que faz o sangue correr sempre vivo, que faz o coração palpitar e a alma não envelhecer é um mistério a ser desvendado a cada dia de estadia e graça nesse imenso mundo.

Há pessoas que conseguem viver com mais intensidade, renovando-se com o passar desse tempo e assim, a juventude mantém-se sempre viva em cada ato.

A fonte é a vida. A vida que se vive intensamente. Entender e compreender o nosso papel nesse palco é o que poucos buscam. A esses, intitulo de artistas da vida, que mesmo presente nesse mundo material, conseguem vivenciar e contemplar o que os olhos não enxergam.

"Viver e não ter a vergonha de ser feliz
Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz
Eu sei que a vida podia ser bem melhor e será
Mas isso não importa que eu repita
É bonita, é bonita e é bonita"

A fonte, bem como a escalada da montanha que não finda seu objetivo na chegada ao topo, não consiste em apenas saciar a sede quando o cansaço bater, ela vai além...

A fonte é agora, é a vida, é a alegria e principalmente o amor...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email