terça-feira, 30 de agosto de 2016

#1008grau

Fez-se necessário uma NOTA AUTO-DESENHADA-EXPLICATIVA acerca do texto anterior #1007grau. Entre dúvidas, controvérsias e pessoas acreditando em "indiretas já" percebi uma tristeza digitalizando-se na tela à minha frente. Então, lá vai:

1) A era virtual é uma realidade que não tem volta. Entre os positivos e negativos que a tecnologia nos trouxe estão a aproximação das pessoas geograficamente distantes e consequentemente o distanciamento das geograficamente próximas. 

2) A necessidade da exposição do sentimento do momento encontrou nas redes sociais uma forma de extravasar, de comunicar e de encontrar olhos e ouvidos virtualmente prontos para a lida e para a escuta. Expor-se é praticamente um mal necessário para ser notado, ser visto, ser curtido. O número de curtidas simboliza o grau de interatividade e para alguns de amizade.

3) A vida se tornou uma vitrine em tela cheia. E como quem não vê cara não vê coração, as declarações rolam em alto e bom tom. A falsidade também. Há quem viva parte do dia em postagens de indiretas na tentativa de acertar em cheio a cara de fulano e na outra parte do dia passa compartilhando frases de bate-pronto dos religiosos e santos de plantão. 

4) E pra finalizar essa bagaça, só quis deixar relatado aquilo que vejo diariamente nas vitrines da vida e que não é novidade para ninguém. Nada mais. Não foi um recado, tampouco uma indireta, até porque os protagonistas da minha inspiração estão aquém de entender o meu pensamento e conectarem as ideias a si mesmos. Não se atentaram na vida real, quiçá na virtual!

Entendeu ou quer que pinte também?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email