segunda-feira, 30 de julho de 2012

Cansaço



"Poeira nos olhos,
Cansado do mundo...
(...) que a outros descanse!
Meu cansaço não é de momento
É regado pela persistência
Dos treinos continuados
É movido pela resistência
Dos tombos levados
É derivado da explosão
Do arranhão
E dos machucados


Meu cansaço
é do peso carregado
do troféu levantado
do corpo surrado
da experiência adquirida
Do ombro ferido
Do caminho percorrido
Do sonho vivido
Quem sabe se mocinho ou bandido?


Meu cansaço
não é caminho de morte
não é entrega sem luta
não é vitória sem labuta
não é regado de sorte
Meu cansaço
Não é de um corpo pesado
Não é da lentidão dos meus passos
É de quem carrega o mundo nos braços
É a dor diante da imponência de um fracasso...
Talvez, de um coração, que jaz sem espaço..."




30/07/11

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email