terça-feira, 24 de julho de 2012

Na falta de iniciativa o empurrão vem de Deus.

As manifestações que ora acontecem em nossa vida sempre nos deixam a pensar em duas possibilidades de resposta pronta: "é de Deus" ou "não é de Deus". Acredito sim que ELE se manifesta através de imensos detalhes que por vezes passam desapercebidos ao nosso redor. E por vezes também, são detalhes nem tão pequenos assim, mas que nos acostumamos tanto, que passou a ser simplesmente parte do nosso cenário cotidiano e portanto invisíveis.

De onde vem a resposta? Com o livre arbítrio, ora nos dado, de sermos protagonistas de nossas histórias e após nos libertar de toda forma de opressão existente através da morte de Seu Filho Amado, Deus age sim de acordo com o nosso querer, de acordo com o nosso sim e conversão diários. Não precisa esperar nenhuma chuva de fogo do céu como forma de resposta aos emaranhados que criamos em torno de nós mesmos.

Custamos a entender que, para que nossa vida se redirecione, é necessário continuamente empurrar aquela vaquinha ribanceira abaixo. O apego fácil, que desprendemos de nós para o que é passageiro, é grande e complexo. Botamos sentimento em tudo e dificultamos o desenrolar. Pra que caiba um novo móvel na casa é preciso desfazer do armário velho... Nem sempre isso funciona. Amontoamos tudo. Carregamos coisas demais, sem necessidade de fazê-lo.

A resposta vem da vida. Da nossa vida. Vem da consciência. Vem no silêncio, pela manhã, pela tarde, pela noite. No frio, no calor, na natureza. É simples encontrar respostas. Basta querer! Basta soltar as amarras que nós mesmos fizemos. Basta abrir a porta do cárcere que criamos sem medo do que poderemos encontrar. Basta entender que assim não dá pra ser! Basta coragem de mudar...

O empurrão que, de certa forma, Deus nos dá é o resultado não só daquilo que esperamos que aconteça como do que não queremos. Nem sempre acontece o que se espera. O tempo nos dá a chance de compreender mesmo que ele seja carregado de dor e mágoa e deixe cicatrizes profundas.

Não se perde o que nunca foi seu, seja um sentimento ou seja algo material. Em cada perda, além da impotência perante o fato, a necessidade de se superar, de se recompor e de se por a postos mais uma vez nos auxilia na caminhada.

Quando tardamos a atuar e assumir os riscos do que tem que ser feito, Deus dá o seu jeitinho carinhoso. Entendo que esse empurrão nem sempre é tão desejado e esperado. Percebo e compreendo que o que aconteceu é fruto de escolhas. Sinto que ELE não abandona jamais, por pior que seja a situação.

Acredito que a morada de DEUS é o fim desejado por todos, pelo menos pela maioria. Mas, creio que Ele não se finda apenas nisso. Creio que Ele sempre atua de forma discreta, principalmente quando ao olhar nos olhos de tantos e tantas por aí, sinto que não é apenas mais um ser em compasso de passagem mas a manifestação sublime do Criador e Salvador que prova sem ser notado que a vida, além de tudo, é o maior sinal de mudança, continuidade, perseverança e amor.

Que venham os empurrões!!!

Ailton Domingues de Oliveira
24/07/12
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email