sexta-feira, 20 de julho de 2012

Controvérsias da amizade (II) - ex-amizade: a presença que se fez distante.

"Tu que foste amigo (...)
(...)
(...)
Tu que consideraste amizade coisa passageira
Tu que foste como irmão
Tu por quem dediquei tempo e aperto de mão
Tu por quem servi de pilar de sustentação
Lembre-se, um dia esteve no pódium
No lugar onde só ficam os que são verdadeiros
Percebi, com custo e tempo
O valor e o cuidado que se deve ter com quem cuidamos
Com que gostamos, identificamos, incondicionalmente amamos
Amar é sofrer e correr o risco de um dia perder
Amar é sujeitar-se à decepção
Um dia, ah... há de acontecer
Tu, parceiro que foste
Enquanto precisaras
Tu, intencionado dos momentos de desfrutes,
Somente... infelizmente
Revelaste o valor que tinhas
Para com quem te admirava...
Tu, a quem dediquei pérola(s), confiei
Mostraste-me com sua insana frieza
E assim me ensinaste...
Na dor da perda temporal
Que amigo um dia foste, apenas para mim
E hoje, não amargo tua ausência
Entendo, na paciência, que o melhor acontecera
Mundos distantes, diferentes, incomparáveis
Tudo o que foi bom, durou o necessário para fazer feliz...
Tu, passado, nem tão ingrato
Um dia haverá de lembrar do valor da amizade
Desculpa, mas não existe mais saudade..."

Ailton Domingues de Oliveira
20/07/12
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email