quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Trilogia de um dia K+H+DO



Você acorda com uma enxaqueca daquelas, de não conseguir parar em pé. Fortes dores de cabeça, um desarranjo físico onde frio e calor se revezam na temperatura do corpo. Luminosidade e claridade te afetam raivosamente. Ânsias e vômitos completam o enredo. Enfim, uma verdadeira lambança cósmica no organismo. Ao conseguir se por em pé, se dá conta que o período que lhe resta para trabalhar é o do início da tarde em diante.

No trabalho, num primeiro instante que sai, ao retornar se dá conta que sua chave está lá dentro, trancada com suas coisas. Está preso do lado de fora e no aguardo, por mais de meia hora intermináveis, num sol escaldante e numa claridade especial só para você que se recupera da doida da enxaqueca. Encerrado o expediente comercial ou o que sobrou dele, segue seu trajeto e sua rotina de todos os dias, como de costume. Só não se dá conta que os dias em si não são rotinas ao pé da letra, afinal sua companhia hoje é a danada.

Ao chegar em casa encosta sua moto do mesmo modo de todos os dias e no mesmo lugar, talvez uns centímetros para a direita ou para a esquerda. No exato momento que retira o capacete, hum... o "fiofó' de uma pombinha que aguardava ansiosa por sua chegada, se deslumbra ao ver sua cabeça careca como referência ou alvo para então partilhar contigo com o despeito de quem está por cima... Sim, literalmente foi uma cagada vinda das alturas. Se bem que a sensibilidade aguçada que a enxaqueca te dá antes, durante e depois da crise, permite-lhe ouvir vozes além do normal e nessa hora algo sem "cabidura" foi cochichado entre três pombas que tramavam uma aposta para saber quem acertaria a bosta no careca, no caso, eu.

A vontade era escalar o poste, descobrir qual delas estava com o "anel" espanado ou que propositalmente havia me... me... acertado. Não pensem que queria matá-la! Longe disso. Muito menos entregá-la ao trio de amigos caninos de casa, como brinquedo vivo. Queria mesmo era encurrala-la, amordaçá-la e retribuir da mesma forma, cagando na sua cabeça. Assim, sim, a vingança seria legal!!!

Bom, finalizando a trilogia de um dia cagado, restou-me dormir mais cedo para ver um novo dia começar direito. Se for meu amigo pode rir. Se for colega pode dizer "bem feito". Mas, se for inimigo, tomará que tenha a sorte de, no mínimo, ser cagado por uma pomba!

Esse fato aconteceu tem umas três semanas. É igual a regra dos três tropeços. Tropeçou a primeira, fica esperto com a segunda. Se der a segunda, a terceira é fato. (rs)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email