sexta-feira, 29 de julho de 2016

Guerra das vaidades


E percebeu-se que
No decorrer dos tempos idos, 
Talvez pela pior das formas, 
Sem a explicação de um grande sábio, 
Nem diplomado ou líder religioso, 
Que o pilar de interesses mundano
Sustentava-se pela vaidade, 
Segundamente pelo ego 
E, terceiramente, pela ambição 
Enrustidas, todas, no coração humano...
As almas guerreavam entre si
Tipicamente uma cruzada narcísica 
Onde cada líder da corte real
E seus fiéis escudeiros
Matavam-se no fronte pelo poder
A fé foi corrompida
E a moral prostituída
A descrença assolou o reino
Não existiam inimigos externos
Existia a ganância aflorada
No semblante de cada ser
E assim a vida perdeu o seu encanto
E as almas afogaram-se
Na lama de seu próprio pranto...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email