terça-feira, 5 de julho de 2016

No bater das asas


No caminho que me deram, desandei
Nas regras que me impuseram, burlei
Transgredi o desejo alheio
Em busca de meus anseios
Não me importo o que dizem agora
Sigo desatando o nó que me ancora
Triste lamentar das águas correntes
Que me lavam e me levam pra frente
Rebuscada dança do passarinho
Que ousou voar de seu ninho
Descobriu o mundo em seu recanto
Desbravou o céu e cantou seu canto
Encontrou assim a paz tão sonhada
No bater das asas em sua nova estrada
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email