sexta-feira, 20 de maio de 2011

Cano d'água

"No ano em que se exalta a comunicação
em seus diversos formatos
lembro do maior comunicador
de toda a história da humanidade
Através da simbologia, da mística,
dos gestos, da fala,
viveu e testemunhou seu amor ao próximo
e sua obediência ao Pai.
Escolheu os piores para se tornarem seus seguidores,
discípulos fiéis que renunciaram suas vidas para acompanhá-lo.
Sempre ouvi falar que seria cobrado por tudo o que sabia
Tinha medo de saber, de entender, mas
maior que esse medo era a sede do conhecimento, do saber
Tentei fechar os olhos, a este conhecimento que me cercava,
por algumas vezes, mas
pela mesma verdade acabei retornando
e cada vez mais ciente do meu papel na história,
na história da minha vida:
'Descobri que nasci pra fazer
não pra sentar e assistir a história acontecer'
(Ideologia Santo Jovem - música)
Estar ciente do seu papel nesta imensidão
é sentir-se um importante grão de areia
no oceano da vida
Não importa a pequenez do grão
A praia só é praia porque
não se limita à unidade de cada grão
e a cada gota d'água
Honrar e aceitar o papel,
os dons ou talentos, é ouvir a voz de Deus
e dizer um sim
a cada dia de existência
O contrário também é verdade
Verdade às avessas, o que custa caro,
custa o tempo, os momentos, e às vezes
custa pessoas que amamos.
A cada um é dado o fardo conforme
suas condições de carregá-lo
A cada um é dado a cruz
conforme sua capacidade de suportá-la,
nem mais nem menos
Nós, seres inteligentes,
de nossa missão conscientes,
Somos como o cano d'água
instrumento imperfeito, impuro
com limbo por dentro,
limbo que serve para purificar a água,
'que sacia a sede de quem vem e de quem vai'.
Somos instrumentos de Deus,
usados por Ele
para levar sua voz àqueles
que não tem vez.
Somos pedras brutas,
lapidadas em cada gesto,
em cada passo,
em cada momento
de consciência crítica,
de aceitação, de sim,
de mistério divinamente humano."




Ailton Domingues de Oliveira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email