sexta-feira, 20 de maio de 2011

Causa e efeito

            Ciência e Religião buscam de diversas formas a auxiliar o ser humano a viver melhor consigo mesmo e com o próximo, tentando amenizar situações mal resolvidas do passado que, de alguma forma refletem no presente.
            A psicanálise, por exemplo, utiliza o método da “regressão” para descobrir e sanar traumas. Algumas religiões, através de orações ou celebrações de cura interior, também buscam resolver problemas, esclarecer fatos, curar de maneira geral tudo aquilo que impossibilita o indivíduo de ser feliz, de viver bem e em paz o seu momento presente consigo, com os outros e com Deus.
            Carregamos conosco momentos bons e maus, que vimos, participamos, ouvimos ou ainda fugimos. Muitos desses ficam adormecidos em nossa mente até que algo nos faça reabrir a gaveta onde estava guardada alguma marca, e a partir daí desencadearia uma série de frustrações e perguntas do tipo “como teria sido se eu tivesse escolhido outro caminho” ou “como teria sido se eu tivesse agido de outra forma”?
            Fatos podem marcar nossas vidas, mudar histórias, alterar percursos, fazer-nos entender circunstâncias ou mesmo desenvolver traumas. Cada um reage de maneira diferente frente às situações adversas. Uns conseguem virar a página e tocar a vida normalmente. Outros, sentem, absorvem, se afligem, e aos poucos se desprendem do que viram, ouviram e sentiram. Outros ainda, necessitam de um intermédio, uma força, um auxílio extra pra continuar a vida no seu leito normal, ou ao menos tentar.
            Conhecemos pessoas que frente a problemas, das mais variadas formas, findam suas próprias vidas. Entram no mundo da depressão, vêem-se afogadas nas poças de suas mentes e preferem a morte ante a expectativa e/ou esperança da solução do problema.
            Há causas, que tem seus efeitos à longo prazo. Como em doses homeopáticas os sintomas trazidos pelas lembranças, vão e vêm.
            Causa e efeito, também são lições que aprendemos em casa, na escola, no trabalho, na Igreja. Os atos que praticamos podem repercutir por toda a nossa vida ou na vida daqueles que amamos. Somos responsáveis, nos dias de hoje, não só pela nossa vida, mas também pelas vidas daqueles que fazem parte no nosso cotidiano.
            Tudo o que aqui se faz, aqui se paga. O mundo é redondo e nas voltas da vida, nos deparamos com a mesma situação por diversas vezes, mas em posições diferentes, uma hora por cima, outra por baixo.
            “Tudo o que fizerdes a um de meus pequeninos, a Mim o fizeste”, disse Jesus. ELE, em diversas parábolas deixou bem claro, de maneira a termos sempre a livre escolha, seja ela qual for, porém, tendo sempre a clareza dos riscos assumidos, com suas conseqüências, ou seja, as causas e os efeitos.
            Melhor então, uma boa causa, seja ela uma briga que esteja por trás, mas que depois saborearemos os efeitos com o vigor de um conhecedor de causa.


Ailton Domingues de Oliveira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Receba os conteúdos por email